Nascente do Rio dos Sinos

In Trilhas & Hiking, TRILHAS/AVENTURAS by Leandro Knobloch2 Comments

Escondida e desconhecida inclusive por moradores locais, a Nascente dos Rio do Sinos com duas cascatas, uma com 21 metros de queda e outra com impressionantes 121 metros de águas puras e energizantes, continua sendo um paraíso quase inalcançado, essa ausência do ser humano só fez bem a esse local, que se mantém preservado e imponente.DSC_5171 Sabendo que o Rio dos Sinos, a insignificantes 60 km tristemente é o 4º rio mais poluído do país onde praticamente não existe vida, dezenas de animais morrem diariamente, pessoas são desaconselhadas a consumirem a sua água e centenas de litros de dejetos são violentamente despejados no Rio, fica realmente um receio em divulgar tal conteúdo, mas sei que você que está lendo isso agora não é esse tipo estúpido de ser humano, então vamos a parte boa.

riodosinos_desastre

_DSC2460A trilha até a nascente costuma ter duas faces, uma nos períodos de cheia e outra na estiagem, como todo o caminho é feito
bem próximo ao córrego do rio e sempre subindo, os dias posteriores a grandes volumes de chuva tornam o caminho barrento, outra dificuldade é nos momentos de travessia pelo córrego, que é feita algumas vezes durante a trilha, nesse caso a água pode chegar ao joelhos em períodos de maior vazão da nascente, já nos meses mais secos do verão a atenção passa a ser outra, a chance de um encontro inesperado com alguns animais como, por exemplo, cobras, aranhas e escorpiões aumenta bastante, é importante também o uso de repelentes para mosquitos.

A trilha começa sem grandes dificuldades, com a mata bem aberta sendo possível inclusive o acesso com algum veículo 4×4 durante os primeiros metros, mas o legal mesmo é estar com os pés no chão. Com cerca de 15 minutos de caminhada se chega a primeira poção do caminho, sendo possível se refrescar e até mesmo tomar uma banho agradável nessa pequena e calma porção de água.

DSC_5206 Seguindo a trilha, que deste ponto em diante começa a ficar mais estreita, o encontro com espécies nativas ficam mais frequente, é grande a quantidade de Xaxim que chegam a quase 10 metros de altura, o que para uma planta que cresce em média 5 cm por ano a coloca como uma espécie centenária e infelizmente com risco de extinção, também são abundantes o Caraa (espécie de taquara fina que dá nome a região) bromélias e tantas outras espécies que crescem harmoniosamente ao cantar dos pássaros e ao irrigar das águas.

O primeiro momento em que é necessário atravessar o córrego do rio fica próximo a primeira  cascata, e nesse ponto dificilmente será preciso entrar na água, pois há no local grandes rochas por onde é possível passar e que dificilmente estarão submersas.  Cerca de 40 minutos de caminha e chega-se a cascata inferior da Nascente, local de beleza irreparável são 21 metros de queda d’água que desembocam em uma de piscina _DSC2427natural, de águas límpidas onde resistir a um mergulho é tarefa dificílima, o volume de água altera a paisagem, deixando em tempos de estiagem as águas praticamente sem movimento podendo ser desfrutado por pessoas de todas as idades, para o banho de cascata essa primeira é melhor opção do que a principal, o fundo é praticamente todo de pedra que podem ser vistas da margem devido a clareza das águas, no local mais fundo próximo ao centro da queda a profundidade passa dos 2 metros, mas se você quiser tirar aquela foto bacana atrás da cortina de água bem abaixo da queda há uma grande pedra que possibilita ficar em pé, lembrando que todo o respeito pela natureza é necessário, logo, cuide-se.

Outro aviso, nesse local há uma de nossas Geocachings com um conteúdo super exclusivo, uma recordação bem legal do local, vá e seja o primeiro a encontrar.

Continuando pela trilha, essa segunda parte é bem mais complicada, a distância pode variar em decorrência do caminho escolhido mas fica entre 600 e 800 metros, a trilha fica a esquerda da cascata e logo no início será preciso fazer uma espécie de “escalaminhada” com o auxílio de algumas cordas que estão no local, cuidado, pois estas ficam expostas ao tempo podendo estarem comprometidas, passando esse trecho, mais uma vez haverá uma travessia pelo córrego, o volume de água costuma ser pequeno neste ponto mesmo nos períodos de cheia, mas cuidado para atravessar, pois um escorregão poderá resultar em um grave acidente, já que logo adiante está a queda da cascata que acabamos de passar. Deste ponto em diante há duas opções para prosseguir, uma delas pelas pedras, ou seja, pelo meio do córrego, possível apenas em períodos de estiagem, a outra forma é continuar pela trilha que fica logo na outra margem, o caminho é estreito podendo ser confundido em muitas vezes, não há nenhuma demarcação, a dica aqui é ficar sempre próximo ao córrego, em várias oportunidades será preciso atravessar para a outra margem para ter um acesso melhor na mata, nos períodos de cheia todo o cuidado é necessário para realizar essas travessias na água, pois a força da corrente e a falta de atrito nas pedras, cobertas por limo, podem acarretar em acidentes físicos e materiais (na última vez em que realizei a trilha o saldo da turma foi menos um celular, menos uma bermuda, menos um caderno de desenho e mais alguns arranhões).

Já quase no topo a abertura da mata permite enxergar de longe a beleza grandiosa e robusta da Nascente, mas antes de estar aos pés dela será preciso se esforçar um pouco no último obstáculo do caminho, uma passagem escorregadia por entre as rochas, feito a passagem e só levantar a cabeça sentir as mais diversas emoções que um local único como esse pode transmitir, nesse ponto está o berço da vida a Nascente do Rio dos Sinos, tudo nesse local é grandioso e estar lá é sem
dúvida uma privilégio, ficar em silencio alguns minutos e observar o entorno é hipnotizante.

As águas são bem rasas sendo possível chegar embaixo da cascata e sentir o fluxo de vida cair diretamente em você.

Compartilhe conosco as sua experiência e ajude-nos a manter as informações sempre atualizadas.

A Nascente do Rio dos Sinos fica no município do Caraá tendo como vizinhos as cidades de Osório e Santo Antônio da Patrulha e distante 92 km de Porto Alegre.
Não há transporte público que leve até o local.
O acesso mais próximo é por Santo Antônio 11 km, mas se opção for Osório o caminho há diversos atrativos que podem fazer parte do passeio, entre eles o Morro da Borússia, com mirante para todo o litoral norte gaúcho e para as diversas lagoas da região e ainda opções para fazer saltos de parapente ou asa-delta , além de belos cenários rurais.
Na trilha não há área plana para acampar.

Há uma pousada bem no início da trilha,outras opções ficam no Caraá e na Borússia.

LOCALIZAÇÃO: Caraá -RS, Brasil.

DISTÂNCIA: 3,1 km (ida).

NÍVEL: 4 (moderado).

MELHOR ÉPOCA: O ano todo.

ALTIDUDE: 553 metros.

ELEVAÇÃO ACUMULADA: 265 metros.

ATIVIDADES: Caminhada, banho de cascata, fotografia, rapel.

DSC_5266 1 DSC_5227 1

_DSC2427 DSC_5223 1 _DSC2429 1DSC_5291 1 DSC_5222 1DSC_5215 1 DSC_5255 1 _DSC2437 1_DSC2416 1 _DSC2439 1_DSC2455 1 _DSC2443 1 _DSC2467 1DSC_5167 1 DSC_5173 1

Comments

  1. Pingback: Osório-RS: Berço da Mochilão Brasil | Mochilão Brasil

Leave a Comment