PEDRA DA GÁVEA

In Trilhas & Hiking, TRILHAS/AVENTURAS by Leandro Knobloch1 Comment

 

Esse incrível hiking na zona sul do Rio de Janeiro que mistura desafio, história e fantasia, tem ainda um visual arrebatador dessa cidade que do alto sempre será maravilhosa. São 1,7 km de caminhada considerado por muitos como a mais bonita da cidade. A Pedra da Gávea é o maior bloco de pedra a beira mar do mundo e o seu cume está a 845 m do nível do mar. A rocha foi batizada de Pedra da Gávea por se parecer com o cesto de gávea dos navios, aquela espécie de banheira de madeira que fica no alto de um dos mastros e serve de observatório que possivelmente você já deve ter visto em algum filme ou desenho animado.

_DSC2044

A TRILHA:          

Fiz o percurso pela a trilha principal (não tinha conhecimento das outras) o caminho começa no final da estrada do Sorimã. Há uma guarita na entrada do parque onde o visitante deixa seu nome e telefone, oficialmente o parque abre as 8 horas e fecha as 18:30 (horário de verão), mas como a trilha possui acessos secundários o retorno não tem como ser monitorado, o que acaba facilitando o acampamento na trilha, oficialmente é proibido acampar, mas essa é uma prática bem comum aos aventureiros que sobem a Pedra da Gávea.

Os primeiros metros do caminho não apresentam dificuldade, são percorridos sobre pedras assentadas que vão até a Cachoeira do Sorimã, uma pequena queda d’agua onde aos finais de semana e nos dias mais quentes atrai alguns turistas.

Passada a cachoeira o caminho começa a ganhar dificuldade, as enormes e numerosas jaqueiras também vão ficando para trás e são as raízes das árvores que seguem que em algumas partes do caminho servem de “escada” para subida, algumas vezes é preciso se agarrar as raízes em uma espécie de escalaminhada nesse que é o primeiro ponto de dificuldade da trilha, pouco mais adiante outra parte interessante da subida, uma grande rocha escorregadia que possui alguns ferros fixados e um cabo para facilitar a subida.

Passada essa primeira parte mais intensa da subida é hora de se reidratar e 12077079_1494112744215818_1042463710_nencher as garrafas em uma pequena fonte de água, que talvez nos períodos de seca não exista, mas se a encontrar aproveite, pois depois dessa não haverá outra fonte até o cume. Poucos minutos adiante se chega a Praça da Bandeira, ponto onde as trilhas secundarias a Pedra da Gávea se encontram, se estiver cansado essa área descampada pode servir para uma pausa, deste ponto em diante a mata começa a ficar mais aberta possibilitando belos visuais, em instantes o primeiro mirante de onde é possível ver a Agulhinha da Gávea….eu estava tão distraído com o visual que só quando me virei para retornar a trilha me dei conta que esta embaixo da “cabeça do Imperador” sim este é o Mirante do Imperador, o melhor ponto da trilha para se apreciar esse belo e misterioso monumento. Deste ponto em diante a trilha só ganha em emoção, boa parte do caminho é feita a poucos passos de um enorme precipício que proporciona um visual incrível até o encontro com a_DSC2061 Carrasqueira, o maior desafio dessa trilha, uma paredão de rocha de 30 metros de altura, que para muitos é o ponto final da trilha, mas não se assuste, pois ela é bem mais fácil de ser escalada do que se ouve por aí, o importante nesse ponto é você se manter tranquilo e confiante, se tiver alguém que conheça a subida ou alguém subindo na sua frente pode facilitar, pois existe alguns “caminhos” mais fáceis para subi-la, no dia em que subimos o vento era muito forte e alguns aventureiros prefiram não continuar, mas vá sem medo e não desista pois depois de superar esse obstáculo com certeza será muito prazeroso observar a rocha de cima e a sensação de superação é maravilhosa, uma vez lá em cima as suas pernas parecem voar, o restante do caminho se torna leve e o bem estar agora é completo, observar a cidade lá em baixo a cada curva da montanha faz tudo parecer calmo e tranquilo. Já tomado por essa emoção chegamos a uma abertura na rocha com 15 metros de altura, 7 metros de largura e 2 metros de profundidade chamada de “Portal”, e seria essa uma passagem para outras dimensões, bem, como eu queria chegar ao topo preferi seguir a trilha, mas em outra oportunidade com certeza experimento o Portal.upar_DSC2008

Já quase no topo um entroncamento, a direita leva a um chapadão que é parte mais próxima ao mar, bem acima do elevado de São Conrado, para a esquerda da acesso a “Cabeça do Imperador”, o ponto mais alto da trilha, mas antes da chegada ao topo ainda há uma descida na rocha feita com o auxílio de uma corrente e ferros de aço fixados na rocha, feito a descida é hora de subir novamente, agora a subida pela rocha é livre, aqui uma boa envergadura ajuda bastante, do contrário vai ficar um pouco mais difícil, mas vale o esforço pois depois desse obstáculo o cume estará a sua frente, uma grande rocha partida em 3 pedaços_DSC2046, divisão essa feita possivelmente por um raio, e finalmente uma visão sem barreiras de boa parte desse verde e azul Rio de Janeiro, agora é só aproveitar e curtir, o forte vento que soprava diminuía muito a sensação de calor no alto da rocha, aproveitei para sentar e descascar uma laranja observando todo o entorno, as praias e bairros da zona sul e zona oeste, Jacarepaguá(que do alto nem parece que é longe pra caramba), o morro Dois Irmãos, a Rocinha, o Corcovado, o Pão de Açúcar, a Lagoa Rodrigo de Freitas, muito verde e muito mar azul.

upar3

           CURIOSIDADES:

Cabeça do Imperador: Existe uma teoria que diz que a Rocha foi esculpida por fenícios para ser a tumba do rei de Tyro, onde hoje é o Líbano, o governante Badzir, que teria a sua face ali retratada. Além disso os fenícios teriam escrito uma frase no alto da “cabeça do imperador”, que pesquisadores traduzem como sendo “ Aqui Badezir, rei de Tyro, filho mais velho de Jetbaal”…

A maldição do Rei: O alto número de acidentes fatais seria a maldição a aqueles que tentam violar o local de descanso do Rei.

Estrelas Guardiãs: De acordo com a mitologia Persa, a Pedra da Gávea é um dos quatro pontos na terra protegidos por essas estrelas que possuem poderes cósmicos. Nos anos 30 dois cientistas foram passar uma noite para tentar observar tal fenômeno e segundo eles fortes luzes verdes saiam do contorno do “Portal” e puderam ver várias almas humanas lá dentro…

Portal: Essa imensa abertura na rocha seria uma passagem para outros pontos do planeta como por exemplo:  Coliseu e Machu Picchu…

A Escadaria: Dizem por aí…que embaixo da rocha na parte que faz contato com o mar há uma escadaria que leva ao interior da Rocha, encontrado por acidente por dois mergulhadores que ao ingressarem na escada perderam os sentido e quando acordaram estavam no topo da rocha…

Entrada para Império Subterrâneo: Sim, na Pedra da Gávea também existe um “portal” que da acesso a Shambalah capital de Agharta esse vasto império que conta com milhões de habitantes, mas caso você não esteja no Rio de Janeiro e nem tenha planos para isso, não se preocupe pois no Brasil há mais duas entradas para Agharta uma em Sete Cidades-PI e outra em Barra do Garças-MT…

Bem, caso você conheça alguma outra estória, outro portal, ou queira contar a sua experiência em algum destes fatos deixe o seu comentário…

 

Comments

Leave a Comment